sábado, 23 de abril de 2016

PL►Y: Longe Deste Insensato Mundo

Matthias e Carey: o lado romântico do diretor Thomas Vinterberg. 

Às vezes uma assinatura ilustre pode pesar negativamente sobre um filme, exemplo recente foi o de Longe Deste Insensato Mundo estrelado pela inglesa Carey Mulligan e o belga Matthias Schoenaerts, dois bons atores que costumam dar prestígio a qualquer produção. Baseado no livro de thomas Hardy (que já recebeu uma versão para o cinema em 1967 estrelado por Julie Christie),  o filme conta a história de Bathsheeba Everdene (Mulligan), jovem que no ano de 1827 tem ambições bem maiores do que casar e ter filhos, tanto que ela rejeita o pedido de casamento do pastor de ovelhas Gabriel Oak (Schoenaerts) - mesmo que exista uma afinidade irresistível entre os dois. Mas o mundo dá voltas e os dois irão se reencontrar após Bathsheeba herdar uma fazenda decadente e precisar de toda a ajuda possível para reerguê-la. Enquanto o carinho entre os dois permanece, outros pretendentes aparecem no caminho da jovem fazendeira, entre eles o amargurado vizinho Sr. Boldwood (Michael Sheen) e o sargento Francis Troy (Tom Sturridge). A história é repleta de romantismo, mas também ironias (já que embora Batsheeba tenha um pensamento à frente do seu tempo, ela também possui uma porção de orgulho capaz de ofuscar seu bom senso). Ainda que Carey Mulligan pareça frágil, ela consegue construir uma personagem forte e que torna palpável as motivações mais contraditórias de sua personagem, além disso, sua química com Matthias Schoenaerts funciona até a última cena, ou seja: a alma do filme funciona. Não bastasse isso, a produção é caprichada, os figurinos são perfeitos, a fotografia enche os olhos, a trilha sonora é magnífica, os atores de apoio estão em ótima sintonia e o roteiro dá conta de criar um romance de época que chama a atenção (com a difícil tarefa de condensar um livro de 400 páginas em duas horas de filme, o que deixa algumas partes um tanto aceleradas - a adaptação de 1967 tinha 2 horas e 48 minutos). Tanto esmero não empolgou a crítica, as premiações e nem o público. Com sucesso modesto (no Brasil o filme foi exibido no Festival do Rio do ano passado e lançado diretamente em DVD no início desse ano), acredito que a assinatura do cineasta dinamarquês Thomas Vinterberg elevou demais as expectativas sobre o filme, afinal, Thomas foi o garoto prodígio do movimento Dogma 95 (que jogou holofotes sobre cineastas como Lars Von Trier e Susanne Bier), sendo dele o filme mais premiado do movimento, o polêmico Festa de Família (1998) que foi indicado ao Globo de Ouro quando Thomas tinha apenas vinte e nove anos. Recentemente o diretor foi redescoberto pelo sucesso do filme A Caça/2013que foi premiado no Festival de Cannes e foi indicado ao BAFTA, Globo de Ouro e Oscar de filme estrangeiro o que complicou ainda mais a escolha de seu próximo projeto. Longe Deste Insensato Mundo mostra que embora sua assinatura seja mais associada a filmes de grande densidade, Vinterberg ainda quer demonstrar que pode construir narrativas mais singelas e sutis - embora seus fãs possam torcer o nariz para isso (mas acho que ele nem se importa). Os fãs de romances de época não tem do que reclamar. 

Longe Deste Insensato Mundo (Far from the Madding Crowd/Reino Unido - EUA/2015) de Thomas Vinterberg com Carey Mulligan, Matthias Schoenaerts, Michael Sheen, Tom Sturridge e Juno Temple. ☻☻☻☻

Nenhum comentário:

Postar um comentário