sexta-feira, 22 de abril de 2016

Na Tela: Orgulho & Preconceito & Zumbis

Elizabeth Bennet (Lily James) ao centro: mocinha da pesada. 

Sucesso nas livrarias, Orgulho & Preconceito & Zumbis chamou atenção por ser um crossover (ou seria fanfiction?) do universo da escritora Jane Austen com as obras de zumbi. O resultado era tão divertido no papel que Hollywood logo se interessou para fazer uma adaptação da obra de Seth Grahame-Smith (que também é responsável pelo livro que deu origem a Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros/2012). Não sou grande conhecedor da obra do escritor - ou de quais são as suas intenções quando mistura alhos com bugalhos, mas sempre tenho a impressão que os diretores levam a sério demais o que deveria ser uma paródia divertida. Com dificuldade de conciliar o humor com o terror, o filme Orgulho & Preconceito & Zumbis nunca decola. A trama segue a história clássica de Jane Austen (se você não conhece é sempre bom assistir a versão do diretor Joe Wright para a obra)  com a diferença de colocar um bando de zumbis para a mocinha Elizabeth Bennet (Lily James) e o pomposo Mark Darcy (Sam Riley) darem fim enquanto tentam resistir à atração que sentem um pelo outro. Elizabeth Bennet cresceu numa casa confortável com os pais (vividos por Charles Dance e Sally Phillips) e suas quatro irmãs (que além de pensarem em seus futuros casamentos, ainda receberam treinamento na China para aniquilar zumbis). Subitamente, a Inglaterra passa a ser atacada pelos mortos-vivos e, em meio ao ataque, a presença de Darcy (um bravo matador de zumbis) e de Lady Catherine de Bourgh (Lena Headey) inspiram segurança à localidade onde vivem, embora, Elizabeth e Darcy nunca simpatizem muito um com o outro  - especialmente quando a doce Jane Bennet (Bella Heathcote) se apaixona pelo melhor amigo de Darcy, Mr. Bingley (Douglas Booth). Na tela o que poderia ser um dos filmes mais divertidos da temporada, logo se torna um tanto enfadonho pela mistura irregular de dois universos cinematográficos distintos. Não foi por acaso que o filme teve uma produção conturbada, onde diretores e atores abandonavam a produção constantemente (entre eles o diretor David O. Russell e a atriz Natalie Portman), sobrou para Burr Steers, que teve uma estreia promissora com A Estranha Família de Igby (2002), mas depois sucumbiu às bobagens estreladas por Zac Efron. Aqui, o cineasta se esforça, mas nunca chega a empolgar. O que torna o programa mais interessante é menos as cenas de lutas com zumbis e mais a química entre Lily James e Sam Riley, que criam o casal Lizzie Mr. Darcy mais inusitado de todos os tempos - sem perder a dignidade. Orgulho & Preconceito & Zumbis capricha nos figurinos (que abusa do couro em várias peças), na direção de arte e na maquiagem dos mortos-vivos, mas deixa a deseja no que deveria ser o seu maior trunfo: o humor. 

Orgulho & Preconceito & Zumbis (Pride and Prejudice and Zombies/EUA-Reino Unido/2016) de Burr Steers com Lily James, Sam Riley, Douglas Booth, Lena Headey e Jack Huston. ☻☻

Nenhum comentário:

Postar um comentário